Socorro é a 1ª CITTASLOW do Brasil

A desaceleração do Cittaslow propõe que as pessoas diminuam a velocidade com que fazem tudo, de forma a aproveitar melhor cada momento

Grande parte das pessoas vivem sua rotina com a sensação de desequilíbrio, sem saber dosar o tempo dedicado ao trabalho, à família e ao lazer. Em comum, há um sentimento de urgência, como se o tempo nunca fosse suficiente. Trânsito, excesso de compromissos e prazos demasiadamente curtos pressionam o tempo todo. Na contramão de tudo isso, surgiu o movimento Cittaslow.

O termo, traduzido como Cidades Lentas, surgiu há pouco mais de duas décadas, em uma pequena cidade da Toscana, na Itália, como uma alternativa para conciliar o desenvolvimento urbano sustentável e a qualidade de vida. A ideia é melhorar o bem-estar dos cidadãos, especialmente em relação ao meio ambiente e ao território que ocupam.

Com o objetivo de evidenciar essa tranquilidade que já é típica do interior e projetar a cidade nacionalmente, inserindo-a no mercado estrangeiro, Socorro-SP se tornou a 1ª Cittáslow do Brasil – “Cidade do Bem Viver”, através da Rede internacional Cittaslow. A obtenção da certificação envolveu diversos atores: todas as secretarias municipais, a secretaria de turismo, como idealizadora, gestora e patrocinadora do projeto; diversos parceiros, organizações do terceiro setor, empresários, sociedade civil, conselhos municipais e uma empresa de consultoria para a inovação. Pré-requisitos: ter até 50 mil habitantes; avaliação de 72 indicadores, subdivididos em 7 categorias:  I.Política Energética Ambiental; II.Políticas de Infraestrutura; III.Políticas de Qualidade de Vida Urbana; IV.Políticas Agrícolas, Turísticas e Artesanais; V.Políticas de Hospitalidade; VI. Coesão Social; VII.Parcerias com outras organizações e atendimento, obrigatório, a 28 critérios.

O termo internacionalização inexistia. Com a certificação vislumbramos o mercado internacional e os benefícios que traria ao município e a todos os envolvidos. O projeto surgiu de uma ideia da secretaria de turismo, aceite do prefeito e uma consultoria voltada à inovação.  Uma das principais motivações foi adentrar ao mercado internacional e desenvolver algumas tendências mundiais, como: sustentabilidade; acessibilidade; economia circular; maior e melhor aproveitamento da vida no campo; Slow Tourism e outras utilizando o vasto campo que Socorro possui, como a extensa área rural, a geografia propícia na Serra da Mantiqueira, uma população naturalmente empreendedora e demais condições favoráveis.

A certificação envolveu não só uma boa gestão do destino acerca de questões sociais, ambientais e econômicas, como também contemplou questões políticas e estruturais. Iniciativa valiosíssima ao município seja pelo ineditismo, ao ser a única e 1ª cidade brasileira, seja pelo reconhecimento de que a cidade possui um bom desenvolvimento territorial, turístico e sustentável.  Destaque para as inúmeras oportunidades de atuação criadas, além da notória visibilidade em ser um local onde se vive bem, onde há qualidade de vida, onde existe um ambiente planejado e pensado para se “Bem Viver”.

Única e 1ª Cittaslow do Brasil após 3 cidades terem pleiteado o título, sem sucesso: Tiradentes-MG,  Santa Teresa-ES e Antônio Prado-RS. Ser um destino do “Bem Viver” é algo valioso em qualquer tempo, mas ainda mais em tempos de pandemia onde se priorizam destinos seguros, locais abertos, próximos aos grandes centros, atrativos naturais, qualidade de vida, lugares para descanso e contemplação, opções de lazer que geram bem estar, saúde mental, física e espiritual.  Ser a 1ª Cittáslow do Brasil nos dá a responsabilidade e o compromisso de manter os bons indicadores e de melhorá-los através do desenvolvimento dos projetos. Realizaremos parcerias e aproximação junto a outros 280 destinos internacionais para trocar experiências e buscar melhores resultados. Atuaremos como multiplicadores do modelo de governança voltado à gestão pública sustentável no Brasil e executaremos novos projetos/ações que incrementarão as políticas sociais, culturais, econômicas, ambientais e turísticas do destino.